Ir para o conteúdo principal
main content, press tab to continue
Artigos

Cresça com confiança: desbloqueando o poder da tolerância ao risco

Por John Merkovsky , Mary Catherine Stabler, CFA e Julien Lorenzi | Dezembro 27, 2023

Você pode impulsionar o crescimento por meio de processos robustos que desencadeiam o potencial da tolerância ao risco? Especialistas em Análise de Risco da WTW compartilham estratégias práticas para gerentes de risco.
Captive and insurance management solutions|Corporate Risk Tools and Technology
N/A

A tolerância ao risco claramente definida deve ser a base de todas as decisões de negócios. Alcançar o crescimento por meio de uma estrutura robusta é um tópico que os especialistas de Risk & Analytics da WTW examinaram em webinars globais realizados no terceiro trimestre de 2023, que conectaram os fundamentos do financiamento de risco.

Esses insights consideram:

  • Até que ponto os profissionais de risco utilizam a tolerância ao risco?
  • Por que usar uma estrutura de tolerância ao risco
  • Como estabelecer uma estrutura de tolerância ao risco alinhada aos objetivos organizacionais
  • Como promover o crescimento integrando a tolerância ao risco no contexto empresarial
  • Conectando a tolerância ao risco ao risco corporativo
  • Próximas etapas para desbloquear o crescimento usando análise de risco

Até que ponto os profissionais de risco utilizam a tolerância ao risco?

Muitos gestores de risco estão compreendendo o potencial de redefinir a tolerância ao risco como uma estratégia para impulsionar o crescimento, sendo essa percepção, em parte, motivada pelas consequências da pandemia. Antes da COVID-19, muitas empresas tinham ideias preconcebidas sobre o que consideravam um cenário catastrófico que levaria à falência. No entanto, a pandemia alterou essa perspectiva. A capacidade das empresas não apenas de sobreviver, mas também de prosperar, demonstrou uma resiliência mais robusta e apontou para um futuro em que podem abraçar com mais segurança um maior grau de riscos.

Mas a questão permanece: sem definições racionais e fundamentadas em evidências sobre o que caracteriza movimentos prejudiciais à sua situação financeira, a empresa ainda pode acabar assumindo riscos indevidos.

Por que usar uma estrutura de tolerância ao risco

O objetivo da tolerância ao risco é ajudar a definir e comunicar o sucesso das decisões de risco de negócios. Esta transparência possibilita afirmar, por exemplo: esta decisão contribui para proteger as nossas metas de lucro, expondo-as a apenas 1% das situações; uma declaração que os líderes sêniores podem compreender facilmente e utilizar para embasar suas decisões.

A tolerância ao risco deve envolver a utilização de métricas alinhadas aos objetivos essenciais da organização, fazendo uso de indicadores de desempenho financeiro para definir e comunicar de maneira transparente o sucesso das decisões de risco. Isso transforma a gestão de riscos em um processo menos centrado em gastos e mais focado na criação de valor, permitindo que a organização assuma riscos com confiança.

Em última análise, a tolerância ao risco constitui um exercício empresarial. Toda organização enfrenta riscos, e parte deles pode ser mitigada por meio de seguros ou controle de perdas. Avaliar cada risco, independente de ser segurável ou não, e, em seguida, determinar como agir diante desse risco após compreender o seu impacto financeiro, representa o próximo passo na implementação dessa estrutura.

Como estabelecer uma estrutura de tolerância ao risco alinhada aos objetivos organizacionais

Em sua essência, o processo de estabelecer tolerância ao risco se concentra na habilidade de assumir riscos e na disposição de enfrentá-los, proporcionando a base necessária para que a organização assuma com confiança riscos que promovam o crescimento e evite ações que comprometam suas prioridades financeiras.

Mais especificamente, para desenvolver uma abordagem robusta de tolerância ao risco, é necessário possuir a capacidade de:

  • Definir os eventos adversos contra os quais se busca proteção
  • Alinhar as decisões de risco com as prioridades financeiras da organização
  • Construir consenso entre diversos grupos de partes interessadas
  • Responder às mudanças nas circunstâncias financeiras
  • Refletir a cultura única da sua organização.

Isso destaca a importância de utilizar métricas alinhadas ao desempenho financeiro do negócio no processo de tolerância ao risco.

Quanto aos participantes nesse processo, os palestrantes dos webinars sugeriram uma combinação de colegas multifuncionais, incluindo área como gestão de riscos, seguros, finanças e tesouraria, uma perspectiva que a WTW também endossa. A participação de diversas funções empresariais, especialmente de finanças e tesouraria, não apenas reflete o valor atribuído à tolerância ao risco pela organização, mas também evidencia a capacidade dos gestores de risco em “falar a língua” das finanças e alinhar-se com as prioridades estratégicas do negócio.

Como promover o crescimento integrando a tolerância ao risco no contexto empresarial

Os recentes compromissos da WTW fornecem exemplos valiosos dos resultados positivos alcançados por empresas que gerenciam cuidadosamente sua tolerância ao risco. Por exemplo, em colaboração com um dos maiores varejistas do mundo, o programa de seguros permaneceu inalterado por um tempo. No entanto, o gestor de risco percebeu que a resseguradora cativa poderia desempenhar um papel mais proeminente diante dos consideráveis aumentos dos prêmios nos últimos anos.

Neste caso, o gestor de risco, embora possuísse uma percepção aguçada sobre como agregar mais valor, carecia das evidências e métricas necessárias para persuadir sua equipe financeira a apoiar a iniciativa. Ao reunir colegas de diversas áreas, eles conduziram uma discussão informada sobre retenção de riscos e revisão de tolerância ao risco. Este diálogo foi objetivo e racional, abordando os índices financeiros relevantes e, em última análise, definindo em que medida esses índices poderiam variar do seu valor atual antes que o negócio enfrentasse uma situação financeira crítica.

O resultado foi que a organização conseguiu avaliar adequadamente opções alternativas de transferência de risco e explorar soluções de financiamento além do escopo oferecido pelos mercados de seguros tradicionais. Ao possuir um sólido quadro de tolerância ao risco, conseguiram visualizar a resseguradora cativa como um instrumento estratégico, em vez de uma mera ferramenta de seguro, conforme inicialmente percebido pelo gestor de risco. A diferença reside no fato de que, agora, dispunham de evidências analíticas para respaldar o seu “palpite”.

O quadro de tolerância ao risco estabeleceu limites e fronteiras, delineando uma “zona proibida” onde o risco se tornaria excessivamente elevado para ser considerado financeiramente sustentável. Esse processo global ajudou a empresa a otimizar o seu risco e o custo do seu programa de seguros, incorporando a resseguradora cativa.

Também vale a pena notar como esta revisão da tolerância ao risco aumentou a visibilidade do gestor de risco. Eles conseguiram liderar a construção de uma ponte entre discussões anteriormente desconectadas sobre seguros e finanças, ao adaptar uma estrutura alinhada de tolerância ao risco que proporciona suporte transparente à resiliência financeira e ao crescimento.

Conectando a tolerância ao risco ao risco corporativo

Uma estrutura de tolerância a riscos pode ser altamente impactante quando você a integra ao gerenciamento de riscos corporativos (ERM – Enterprise Risk Management).

Recentemente, a WTW trabalhou na implementação de uma estrutura de ERM para uma grande organização global de franquia hoteleira. Os franqueados se beneficiavam da vantagem competitiva proporcionada pela marca, reputação e fidelidade do cliente da empresa-mãe e, em última análise, compartilhando exposições semelhantes às da empresa principal. Os riscos associados a ativos intangíveis, como a marca, apresentam desafios mais complexos de gerenciamento em comparação aos ativos tangíveis. Navegar por esses riscos requer uma estrutura ERM robusta e uma cultura organizacional que promova a conscientização e compreensão dos riscos em todos os níveis.

Nesses tipos de cenários, é possível usar uma estrutura de tolerância ao risco para estabelecer escalas de impacto, avaliando a tolerância ao risco da organização, definindo as consequências em limites significativos e alinhando-se com as prioridades financeiras. Isso viabiliza uma delegação clara de responsabilidades para os riscos empresariais. No exemplo do setor hoteleiro, a empresa poderia determinar os riscos em que o impacto seria contido e tratado localmente pelos franqueados, seguindo procedimentos operacionais padrão gerenciados centralmente. A função principal de risco poderia então concentrar-se com confiança em riscos mais imprevisíveis que poderiam causar danos materiais ao nível da empresa, merecendo a atenção do conselho e dos executivos.

A integração do ERM com a tolerância ao risco permite capacitar melhores decisões. Sua empresa pode avaliar de forma objetiva e transparente tanto o custo quanto o benefício da redução de risco por meio de ações preventivas, mitigadoras ou de transferência, proporcionando clareza nos casos de investimento e critérios de decisão de negócios.

Próximas etapas para desbloquear o crescimento usando análise de risco

A tolerância ao risco pode, e deve, ser a base para a tomada de decisões. Depois de estabelecer as metas que definem o sucesso, você poderá aplicar esses critérios no nível empresarial e introduzi-los no financiamento de risco de forma mais geral.

Para obter suporte na criação de uma estrutura de tolerância ao risco adequada para impulsionar o crescimento da sua organização, entre em contato com a equipe de Risk & Analytics da WTW.

Autores

Head of Risk & Analytics and Global Large Account Strategy, WTW

Director, Core Analytics
email E-mail

Directeur France, Strategic Risk Consulting, Risk & Analytics,
WTW
email E-mail

Contato no Brasil

Diretor de Risk & Analytics da WTW

Related content tags, list of links Artigos Cativas Riscos Corporativos e Tecnologia
Contact us