Ir para o conteúdo principal
Artigos

Como os escritórios de advocacia podem minimizar o risco de um ataque cibernético

Cyber Risk Management
N/A

Por Ana Albuquerque | Agosto 1, 2022

Escritórios de advocacia têm se tornado alvos por criminosos cibernéticos devido ao potencial de acesso a informações confidenciais.

Os escritórios de advocacia são considerados alvos atraentes por criminosos cibernéticos devido ao potencial de acesso a informações confidenciais e que muitas vezes podem envolver grandes somas de dinheiro mantidas sobre processos, negócios e transações de seus clientes. Dados são extremamente valiosos para hackers que podem sequestrar informações e ameaçar empresas em troca de dinheiro, na grande maioria através da modalidade de ataque cibernético, conhecido como ransomware. Importante dizer que o Brasil tem sido um dos principais alvos de ataques cibernéticos no mundo, tendo o sequestro de dados das empresas o grande objetivo dos cibercriminosos.

Segundo o relatório Allianz Risk Barometer de 2022, os riscos cibernéticos são a principal preocupação para as empresas em todo mundo. Por isso, a segurança cibernética eficaz deve ser uma característica integral de todas as estratégias e dos orçamentos de negócios, independentemente de seu segmento e tamanho.

Em 2020, um ataque ransomware ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) impediu o acesso a processos e paralisou os trabalhos do órgão público. Isso prova que a importância ou status não intimidam os criminosos cibernéticos. Anos antes, em outubro de 2017, o escritório de advocacia offshore, Appleby, sofreu uma violação de dados catastrófica que ficou conhecida como Paradise Papers, expondo nomes e informações financeiras de clientes de alto perfil e alto patrimônio.

As medidas necessárias devem ser tomadas pelos escritórios de advocacia para minimizar sua exposição a ataques cibernéticos, especialmente porque esses incidentes estão se tornando cada vez mais sofisticados. As lideranças devem estar totalmente cientes desse tipo de ameaça aos seus negócios e ter uma compreensão real da exposição potencial.

As consequências de ser vítima de um ataque deste tipo podem ser complicadas e caras, com implicações não apenas para proteção de dados, conformidade regulatória e impacto financeiro, mas também danos à reputação e a preocupação adicional sobre se há cobertura de seguro para tal evento.

Se o escritório não estiver em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados, (LGPD), por exemplo, as penalidades podem variar entre a aplicação de multas (de até 2% do faturamento, limitado a R$ 50 milhões), suspensão do banco de dados, proibição ou suspensão da atividade de tratamento dos dados e outros.

Apesar das legislações vigentes, a tecnologia continua evoluindo e novas modalidades de crimes aparecem a todo momento. Para pelo menos manter o ritmo, os setores privado e público precisam trabalhar juntos e ter ferramentas eficazes para combater o crime cibernético.

É importante, portanto, que os escritórios de advocacia implementem políticas, controles e procedimentos eficazes e robustos de resposta a incidentes de segurança cibernética, a fim de minimizar sua exposição aos riscos, que devem ser mantidos sob constante revisão e testados regularmente para garantir que sejam eficazes e adequados.

O seguro é uma das ferramentas para proteção financeira em caso deste tipo de ataque, uma vez que cobre, entre outras coisas, prejuízos financeiros devido à reclamação de terceiros por violação de privacidade e segurança da informação; além de perdas do próprio segurado que envolve casos de interrupção de rede e lucros cessantes; restauração dos dados digitais que tenham sido destruídos, perdidos, danificados ou alterados durante um comprometimento de rede, cyber extorsão, entre outros.

A educação contínua e a conscientização também são consideradas ferramentas poderosas disponíveis. É essencial estabelecer uma forte cultura de conscientização cibernética com treinamento regular para todos os membros da equipe, mesmo para o nível mais alto da administração. Embora haja uma maior compreensão desses riscos como resultado do aumento da cobertura de notícias de violações de segurança cibernética e da crescente proeminência na vida das pessoas, esse tema ainda precisa ser trabalhado de forma clara e mostrado como uma questão de extrema importância para a empresa.

Neste momento que avançamos no processo de flexibilização das restrições impostas pela COVID-19 e estamos retomando algumas rotinas presenciais, é uma boa oportunidade para os escritórios reavaliarem suas estratégias de segurança cibernética e revisar suas políticas, seus controles e procedimentos para avaliar e testar sua eficácia.

Disclaimer

Artigo produzido pela WTW e publicado no portal Análise Editorial, no dia 12 de julho de 2022.

Autora

Head de Linhas Financeiras da WTW

Related content tags, list of links Artigos Gestão de Riscos Cibernéticos

Soluções Relacionadas

Contact Us